Notícias

Jogo desenvolvido durante quarentena mostra realidade dos entregadores por aplicativo na pandemia

Disponível para Android, Corina Express tem desafios que trazem conscientização do uso da máscara
#AgenciaEscolaUFPR


Por Bruno Caron
Edição: Chirlei Kohls

Os entregadores por aplicativo garantem o isolamento social de muitas pessoas durante a pandemia de coronavírus. Para quem é do grupo de risco, o serviço é essencial, como é o caso de Jéssica Goss que possui bronquite. Mestre em Design pela UFPR, Jéssica e seu marido, Weslei Santos, profissional na área de Tecnologia da Informação, aproveitaram o período em casa para tirar um projeto do papel: o jogo Corina Express – clique aqui para baixar.

Em 81 fases e três mundos, Corina precisa se proteger do vírus ao fazer entregas

“É uma homenagem para os entregadores e para esses profissionais que ajudam a gente a ficar em casa durante esse período”, relata Jéssica. O jogo está disponível gratuitamente para Android na Play Store, loja de aplicativos da Google.

Na plataforma os jogadores controlam Corina, uma entregadora que precisa enfrentar vários desafios para fazer com que as encomendas cheguem aos seus destinos. Em cenário de pandemia, a Corina precisa se proteger do vírus além de fazer as entregas.

“Esse jogo traz uma conscientização da importância de usar a máscara. Mostra o que acontece se as pessoas não usarem máscara e se aglomerarem. A gente quis trazer essa realidade, que todo mundo está vivendo. Trazer isso de uma maneira lúdica”, explica Jéssica.

O estilo do jogo é o “hyper casual”, um quebra-cabeça que pode ser jogado apenas com uma mão. A classificação é livre e pela dificuldade é recomendado a partir dos oito anos. São 81 fases e três mundos. No momento o jogo conta com seis avaliações na Play Store e está com cinco estrelas, a nota máxima.

“Você consegue manipular o jogo inteiro apenas com um dedo. É bem simples e para Android, então a maioria das pessoas têm. A ideia era tornar o mais acessível possível”, detalha Weslei.

Pesquisa na UFPR

Jéssica defendeu sua dissertação de mestrado em Design pela UFPR em março deste ano, bem na época que começou a quarentena no Brasil. O estudo, orientado pelo professor André Battaiola, foi sobre personagens de videogame de grandes jogos, que não têm relação direta com o Corina Express, mas a pesquisa ajudou no desenvolvimento do game.

“Eu li muitas coisas em questão de mecânica, de fluxo do jogador, de level design, que é a progressão de dificuldade, que me instruíram para gente poder criar um jogo que fosse bom e não apenas um experimento. Um jogo bem construído, bem fundamentado em conceitos da área de jogos”, explica a designer. A mestre em Design pela UFPR também criou toda a parte gráfica: as artes 2D, interfaces e menus do jogo.

Homenageados pelo jogo Corina Express, entregadores por aplicativos tiveram piora nas condições de trabalho durante a pandemia, como mostra uma pesquisa da Rede de Estudos e Monitoramento da Reforma Trabalhista (Remir) a partir de projeto da UFPR.

Ouça um episódio da série “Mulheres na Ciência” do podcast Fala, Cientista!, produzido pela Agência Escola de Comunicação Pública UFPR, com a professora Stephania Padovani, do Departamento de Design da UFPR:

Mais lidas

Sobre a Agência Escola UFPR

Agência Escola de Comunicação Pública e Divulgação Científica e Cultural da UFPR é um projeto técnico-científico do Setor de Artes, Comunicação e Design (SACOD) a partir de um convênio com a Funpar e tem na Superintendência de Comunicação e Marketing (SUCOM) um espaço privilegiado para realização do trabalho.

Curta!